Risco de pobreza em Portugal alinhado com média da UE

No ano passado, mais de um quarto da população estava em risco de pobreza em sete Estados-membros

Em 2018, 21,7% de pessoas estavam em risco de pobreza na UE, com Portugal alinhado na média (21,6%), mas recuando mais do dobro da UE (4,4 pontos percentuais) face a 2008.

As maiores taxas de pobreza foram registadas na Bulgária (32,8%), na Roménia (32,5%), na Grécia (31,8%), na Letónia (28,4%), na Lituânia (28,3%), em Itália (27,3%) e Espanha (26,1%).

Por outro lado, as menores taxas de pessoas em risco de pobreza ou de exclusão social verificaram-se na República Checa (12,2%), na Eslovénia (16,2%), na Eslováquia (16,3%, segundo dados de 2017), na Finlândia (16,5%), na Holanda (16,7%), na Dinamarca e França (17,4% cada) e na Áustria (17,5%).

O Eurostat indica que 16,9% da população da UE estava em perigo, mesmo sendo beneficiária de subsídios sociais (17,3% em Portugal), 5,8% estavam em risco de privação material severa (6,0% em Portugal) e 9,0% viviam em agregados familiares com baixa intensidade de trabalho (7,2% em Portugal).

Adaptação da notícia de Lusa publicada na TSF a 16 de Outubro de 2019