Arquivo mensal: Novembro 2019

Comissão Europeia inclui futebol na lista negra do branqueamento de capitais

Futebol profissonal foi incluído numa vasta lista de quase 50 setores considerados como mais prováveis de lavagem de dinheiro e/ou financiamento de terrorismo e, por isso, merecem mais atenção por parte da Comissão Eurpeia.

Na lista apresentada este verão num dos relatórios da Comissão Europeia, acrescenta-se o futebol como um dos setes novos produtos ou serviços com tendência para atividade de branqueamento de capitais.

A Comissão Europeia manifesta-se afirmando que os Estados-membros “devem considerar quais os atores que devem ser abrangidos pela obrigação de comunicar transações suspeitas e que requisitos devem ser aplicados ao registo e controlo da origem dos titulares de contas e dos beneficiários do dinheiro.”

Para se perceber o porquê desta inclusão do futebol na lista negra, note-se que a indústria do futebol europeu foi recentemente avaliada em 28,4 milhões de euros. Terreno não falta para que o futebol se torne vulnerável a ações ilegais.

Adaptação da notícia do Diário de Notícias a 26 de julho de 2019

Fundação GDA aconselha artistas sobre como aproveitar os fundos europeus

De acordo com a Lusa, a Fundação GDA realizou uma sessão informativa sobre fundos europeus destinados a projetos de artes e cultura, em mais uma edição de “#makethemost – Fundos Europeus para as Artes e Cultura”, na Batalha, Leiria

O projeto da Fundação Gestão dos Direitos dos Artistas, “#makethemost – Fundos Europeus para as Artes e Cultura”, decorreu este ano no Mosteiro da Batalha, no distrito de Leiria, no dia 28 de junho, por meio do festival “Artes à Vila”.

Este projeto teve como objetivo “influenciar a motivação, o conhecimento e a capacidade de detetar oportunidades de financiamento para projetos artísticos e culturais portugueses”, segundo um comunicado de imprensa. Ainda nesse mesmo comunicado, anunciaram que a sessão informativa pretendeu “”motivar artistas e promover junto deles o conhecimento de como aproveitar melhor os fundos europeus para os seus projetos”.

Francisco Cipriano, o mentor da iniciativa e consultor da Fundação GDA para a área dos fundos europeus, citado em nota de imprensa, explicitou que “nestas sessões fala-se, geralmente, dos programas de financiamento disponíveis. Mas também de bons e de maus exemplos – de projetos bem sucedidos e de enormes falhanços. Tudo excelentes exemplos de aprendizagem. Por isso, privilegia-se a apresentação de casos concretos, convidando para isso os seus protagonistas”.

Nesta convenção os participantes foram ainda informados de dois programas comunitários com vertentes vocacionadas para o financiamento de projetos culturais: o Programa Operacional Regional do Centro 2020 e o Programa Europa para os Cidadãos.


Adaptação da notícia do Diário de Notícias a 25 de junho de 2019