Arquivo mensal: Março 2020

Um milhão de euros mobilizados pela UE para combate de praga de gafanhotos na África

A praga de gafanhotos que atinge o Corno de África tem devastado o fornecimento alimentar naquela que é uma das regiões mais pobres do mundo

A Somália foi o primeiro país a mobilizar-se para combater a praga de gafanhotos
© EPA

A Comissão Europeia vai disponibilizar um milhão de euros para combater o surto de gafanhotos na África Oriental e também para garantir meios subsistentes.

Esta pode garantir que é a maior praga no continente africano registada nos últimos 25 anos.

A Comissão Europeia afirma que esta foi a melhor alternativa no que consta ao surto, garantir resposta imediata à necessidade urgente de reforço das medidas de controlo para conter a praga e proteger os meios de subsistência rurais, principalmente os que se encontram em zonas com falta de alimentos.

A Organização das Nações Unidas também pediu à comunidade internacional mais reforços para apoiar os países afetados por este surto de gafanhotos.

Adaptação da notícia do DN/Lusa no Diário de Notícias a 18 de fevereiro de 2020



Paulo Rangel exige intervenção da UE na suspensão de voos da TAP na Venezuela

Em relação à suspensão de voos da Tap para Caracas Eurodeputado social-democrata considera “inaceitável” que o Alto Representante “não se tenha ainda pronunciado”

©  JOSÉ COELHO/LUSA

Segundo um comunicado enviado às redações o eurodeputado social-democrata considera “inaceitável” que o Alto Representante “não se tenha ainda pronunciado” derivado á suspensão de voos da TAP para Caracas, capital da Venezuela.

Adaptação da notícia do DN/Lusa no Diário de Notícias a 19 de fevereiro de 2020


Pela primeira vez em 40 anos Portugal está sem equipas nos oitavos das provas da UEFA

Esta quinta-feira, o futebol português ficou fora das competições europeias, cenário que acontece pela primeira vez desde a temporada de 1978/79, há mais de 40 anos

Benfica, FC Porto e Sporting juntam-se a Sporting de Braga e deixaram Portugal sem qualquer representante nos oitavos de final da Liga Europa, depois do Vitória de Guimarães ter caído também na fase de grupos e de já não haver representantes lusos na Champions.

Sendo assim, Portugal, que era o país mais representado nos 16 avos de final da Liga Europa, não tem qualquer representante no top 16 das competições europeias, perturbando um ciclo de 40 anos, iniciado em 1979/80.

Adaptação da notícia de DN/ Lusa publicada no Diário de Notícias a 28 de fevereiro de 2020


A epidemia económica já afeta Portugal

Cancelado. Suspenso. Adiado. Anulado. Fechado. É o que mais se ouve, numa altura em que o Covid-19 se expande pela Europa destruindo vários planos de viagens de milhões de turistas

Os efeitos ainda não estão contados, mas já se fazem sentir no cancelamento das maiores feiras e nas férias. E pode haver maiores resultados ainda antes da Páscoa, entre uma China congelada e uma Itália de quarentena, com os habituais visitantes de destinos de neve ou religiosos a ficar em terra.

Pela primeira vez, em mais de dez anos, o tráfego aéreo global pode quebrar. Serão -5%, quando se contava com uma subida de 4% para este ano, varrendo perto de 30 mil milhões de euros dos resultados das companhias de aviação, revela a Associação Internacional de Transportes Aéreos, e fazendo regressar os fantasmas da crise financeira de 2008 ao turismo, à indústria e a toda a economia mundial.

Adaptação da notícia de Dinheiro Vivo publicada no Diário de Notícias a 29 de fevereiro de 2020


Estátuas do Pártenon geram discussão entre Bruxelas e Londres

União Europeia pode incluir no documento das negociações da futura relação com o Reino Unido a exigência dos artefatos roubados, enquanto os negociadores sobem o tom das divergências

O Museu Britânico adquiriu as estátuas do Pártenon em 1816 por 350 mil libras.
© EPA/Facundo Arrizabalaga

O francês Michel Barnier líder da equipa poderá incluir a questão dos objetos culturais roubados nas negociações sobre a sua futura relação com o Reino Unido. O esboço do documento que estabelece os objetivos e as linhas vermelhas da União Europeia, e ao qual a AFP e a Reuters têm, menciona a “devolução ou restituição de bens culturais que tenham saído ilicitamente dos países de origem”

Sendo que os documentos não referem mas as notícias começam por ser transmitidas como referência as esculturas Pártenon, as estátuas do século V a.C e conhecidas no Reino Unido como os mármores de Elgin, em exposição no Museu Britânico, em Londres.

Adaptação da notícia de Cesar Avó publicada no Diário de Notícias a 19 de fevereiro de 2020


Centro europeu quer “medidas rigorosas” na UE após casos de coronavírus na França

Esta segunda-feira o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças pediu que tomem “medidas rigorosas e oportunas”, para controlar o novo vírus da china, visto que a casos confirmados em França

A China elevou para 80 mortos e mais de 2700 infetados o balanço do coronavírus
© Michal Cizek/AFP

“Os países da UE e do Espaço Económico Europeu devem garantir a aplicação de medidas rigorosas e oportunas de prevenção e controlo de infeções em torno de casos detetados […] afirma assim o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, numa comunicação nas suas redes sociais.

Segundo o organismo da UE, os Estados-membros tomam as seguintes medidas, “ a probabilidade de uma maior disseminação é considerado baixa”

Posto isto, o ECDC manteve na categoria de moderado o risco de contagio do vírus na União Europeia.

Adaptação da notícia de Lusa publicada na TSF a 27 janeiro de 2020


Brexit: “Penso que acabaremos por voltar à União Europeia”

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, Jackie Jones, do Labou está arrasada. “Era uma eurodeputada acabo de perder o meu emprego, mas não estou triste apenas por mim. Estou triste enquanto cidadã europeia, que já não sou”, afirmou ao DN

Jackie Jones (à esquerda) emocionada na última sessão do Parlamento Europeu em que participou.
© João Francisco Guerreiro

Apesar do grupo dos eurocéticos, também há um grupo de deputados que se despede de Bruxelas com tristeza, esperando um hipotético regresso ao espaço da União Europeia.

O Reino Unido quebra assim os longos 47 anos de integridade comunitária. Com o Brexit, 73 eurodeputados britânicos perderam o mandato no Parlamento Europeu.

Adaptação da notícia de João Francisco Guerreiro publicada no Diário de Notícias a 1 fevereiro de 2020


Costa contra divisão e defende o projeto europeu

António Costa, primeiro Ministro de Portugal deixou uma mensagem “contra a divisão” e pelo projeto construção europeia

© TIAGO PETINGA/LUSA

“No dia do Brexit, contra a divisão, afirmamos a coesão. Em Beja, dois comissários [europeus] e 17 Estados-membros da União Europeia, do Báltico ao Mediterrâneo, do Atlântico ao Adriático, juntos para uma União Europeia mais coesa, mais próspera e mais solidária para todos”, postou António Costa no Twitter.

O Primeiro Ministro assinalou o último dia de presença do Reino Unido na União Europeia e deixou uma mensagem que afirmou que este país continuará a ter com Portugal uma relação “forte e duradoura”.

Adaptação da notícia de DN/Lusa publicada no Diário de Notícias a 1 fevereiro de 2020


Imagem de Portugal afetada no mundo face ao acontecido com Marega

Ninguém ficou indiferente ao caso de racismo acontecido com Marega (avançado do Porto)

© Global Imagens

Este ato de racismo ficou marcado para a história e está a tomar um impacto grande fora de Portugal.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e o ministro António Costa não ficaram indiferentes a esta situação e condenaram de imediato os infelizes acontecimentos racistas que levaram ao jogador ter que abandonar o campo .

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva, considerou que o caso prejudica a imagem do país internacionalmente e que Portugal não precisa de ser prejudicado assim.

O caso ficou bastante conhecido e é bastante falado nas notícias, redes sociais etc.

Adaptação da notícia de Nuno Fernandes publicada no Diário de Notícias a 17 fevereiro de 2020


Portugal é o 5º país com despesas de apoios familiares mais baixos da UE

Os gastos de Portugal com abonos e licenças de parentalidade vão ficando cada vez mais abaixo da média europeia

©  Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

Porém os países Dinamarca, Finlândia e Luxemburgo registam-se como os mais simpáticos com a natalidade.

Com um dos índices mais baixo de fecundidade a nível europeu, o país é também o quinto na UE onde as despesas familiares não se revelam um peso para a economia, piorando no ano de 2018, revelado pelos dados feitos pela Eurostat. 

A despesa pública com a infância ficou em 1% do PIB, descendo uma décima em relação ao ano anterior.

Adaptação da notícia de Maria Caetano de Diário de Notícias a 28 de fevereiro de 2020