Portuguesa lidera programa internacional para estudar o mar profundo

A bióloga marinha Ana Hilário, do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Aveiro, é uma das mentoras do “Challenger 150”. O programa quer reunir investigadores de todo o mundo para, nos próximos 10 anos, pesquisarem sobre as extensões de água situadas entre os 200 e os 11000 metros abaixo da superfície do oceano.

Ana Hilário acredita que o programa “Challenger 150” possa reunir investigadores de todo o mundo. | Foto: DR

A intenção do programa é gerar mais dados geológicos, físicos e biológicos, que poderão ser usados para compreender como as mudanças no mar profundo afetam todo o meio marinho e a vida no planeta. O novo conhecimento ajudará a decidir sobre questões como a exploração mineira nos fundos oceânicos, a pesca e a conservação da biodiversidade, bem como a política climática.

A ação é desenvolvida em parceria com Kerry Howell, investigadora na Universidade de Plymouth (Reino Unido) e especialista em Ecologia do Mar Profundo. Cientistas de 45 instituições de 17 países já declararam apoio ao Challenger 150 e a intenção é juntar mais pessoas para que haja reconhecimento da Organização das Nações Unidas (ONU) e, consequentemente, apoio financeiro para o desenvolvimento do projeto.

Adaptação da notícia de Zulay Costa publicada no Jornal de Notícias a 25 de novembro de 2020.